Home » SESSÕES DE SENSIBILIZAÇÃO PROMOVIDAS PELA CPCJ NO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS

SESSÕES DE SENSIBILIZAÇÃO PROMOVIDAS PELA CPCJ NO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Gavião (CPCJ) dinamizou nos dias 26, 27 e 28 de maio e no dia 1 de junho, várias sessões de sensibilização junto de alunos do Agrupamento de Escolas de Gavião, visando os principais objetivos desta entidade, que passam por afastar do perigo em que se encontram as crianças/jovens, proporcionando-lhes condições para promover e proteger a sua saúde, segurança, formação, educação, bem-estar e desenvolvimento integral. Foram desenvolvidas diferentes estratégias, de acordo com os grupos de alunos abordados em cada sessão. O principal enfoque das sessões foram os temas da “Prevenção de Aproximações Abusivas e Indesejadas” e os “Direitos das Crianças e Jovens”.

As sessões com as crianças do Ensino Pré-escolar e com o 1.º e 2.º anos do 1.º Ciclo incindiram sobre a prevenção de aproximações abusivas e indesejadas, numa abordagem divertida e educativa, contando a história do “Kiko e a mão” através da exploração de um teatro de fantoches. Esta história integra um conjunto de recursos da campanha do Conselho de Europa one in five, sendo uma forma simples de ensinar a regra “Aqui ninguém toca”, explicando  que partes do corpo não devem ser tocadas por outras pessoas, como reagir se isso acontecer e onde procurar ajuda.

Com os alunos dos 3.º, 4.º, 5.º e 6.º anos as sessões foram especialmente direcionadas para os “Direitos das Crianças e Jovens”, decorrendo de igual modo, de forma bastante dinâmica e interativa. Através da exploração de uma apresentação PowerPoint, ficaram a conhecer várias personalidades importantes na história e no caminho até à Convenção dos Direitos da Criança, que este ano celebra o seu 25.º aniversário. Foram debatidos os 4 pilares fundamentais em que assenta a Convenção: a não discriminação; o interesse superior da criança; a sobrevivência e o desenvolvimento e a opinião da criança. Depois, tiveram então a oportunidade de eles próprios recriarem a Convenção dos Direitos da Criança, “encarnando” o papel dos vários personagens intervenientes nesta história, que ainda não terminou.

Para que não esquecessem os seus direitos, todos receberam um folheto que de forma simples e didática enumera os Direitos da Criança, destacando-se a categorias principais: os direitos à sobrevivência; os direitos relativos ao desenvolvimento; os direitos relativos à proteção e os direitos de participação.

 

[AdSense-A]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.